Quem sou eu

Minha foto
Sao Paulo, Sao Paulo, Brazil
Contatos: tels.11-97597-1085 e 11-95638-8861 Orlando Filho Paisagismo ou Ana Paula Secretária 11-2355-8092 ou os e-mails: ivanikubo@gmail.com - orlandofilhopaisagismo@hotmail.com SÃO PAULO / CAPITAL "Em qualquer parte da terra Um homem estará sempre plantando. Recriando a vida. Recomeçando o mundo." Sou paisagista há pouco mais de 30 anos. Amo minha profissão, a qual me dedico inteiramente. Nada é mais gratificante do que sentir que um projeto implantado tornou realidade o sonho de uma ou mais pessoas. Que despertou um "quê" de consciência ecológica e será transmitida à outras pessoas. TODOS OS TRABALHOS DESTE BLOG SÃO DE MINHA AUTORIA E DE ORLANDO FILHO ( PROJETO E EXECUÇÃO). São mais de 35 anos trabalhando juntos, com toda dedicação, carinho e amor.
Este blog é um arquivo, onde exponho alguns dos meus trabalhos com paisagismo - uma paixão, a minha vida.
Considero a minha profissão uma benção, um presente de Deus e isso me dá uma sensação muito boa, afinal, um planejamento de paisagismo nasce da necessidade de inventar um lugar onde se restaure a relação entre o espírito e a natureza
Ao criar um espaço com paisagismo, procuro aplicar movimento à ele, usando os elementos da Natureza para interagir com o ser humano que o usufrui.
By the way, adoro Literatura e utilizo trechos de poemas que me encantam pela delicadeza com que foram escritos.
Bem vindos...! Espero que gostem do meu trabalho.





É proibido copiar os artigos e IMAGENS deste blog.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do código penal.

AVISO LEGAL

Este conteúdo pode ser publicado livremente, no todo ou em parte, em qualquer mídia, eletrônica ou impressa, desde que a empresa Ivani Kubo Paisagismo seja citada como fonte, remetendo para o blog da paisagista.


quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

PAISAGISMO JARDIM JAPONÊS: TEMA DO QUADRO HOJE EM CASA.COM- IVANI KUBO

Meu jardim japonês, apresentado na tv Globo, no Quadro do programa HOJE EM CASA.COM, cuja sugestão era falar do estilo japonês em Paisagismo.




Um texto bacana sobre jardim japonês que escreví há alguns anos e foi publicado em várias revistas da área:

Tenho comigo que o paisagismo no estilo japonês é uma das mais elevadas formas de arte. ''Os elementos filosóficos, religiosos e simbólicos são características marcantes, combinando pedra, água e planta de maneira simples e, ao mesmo tempo, perfeita. Cada componente tem seu lugar e apresenta uma função '‘.
 Ao caminhar por um jardim como esse, é comum ter a agradável sensação de paz e tranquilidade, pois esse estilo foi planejado ao longo de vários séculos para constituir locais serenos e que ressaltem a natureza pura, inalterada. A água, as pedras e a vegetação induzem a contemplação e meditação, assim, o homem pode entrar em contato com sua própria essência.
O modelo nipônico utiliza muito verde, expressando eternidade, mas poucas floríferas, porque, na visão dos orientais, transformam-se rapidamente e são efêmeras. De modo geral, as espécies são de fácil manutenção, necessitando de poda duas vezes ao ano. ''As cores, formas e texturas são secundárias, havendo mais ênfase ás simbologias e representatividades dos elementos ''.
As flores ficam por conta da sakura ou cerejeira-do-japão (Prunus serrulata) , azaleia (Rhododendron simsii) e camélia (Camélia japônica ) .''A primeira expressa paz cresce , há festejos no Japão . A camélia é usada antecedendo o espaço principal do jardim , pois suas pétalas caem , o que para os japoneses faz menção às cabeças decepadas dos samurais (antigos soldados da aristocracia japonesa) . Já a azaleia fica encarregada do
colorido'';  Outras plantas também são típicas  , como pinheiro-preto ou matsu (Pinus sp) , que representa a figura patriarcal da família , nandina (Nandina domética), usada do lado esquerdo da entrada denotando prosperidade , bambu (Phyllostachys spp) , sua envergadura exprime reverência e humildade , ácer-vermelho ou mumidji (Acer palmatum) , bambu-mossô (Phyllostachys pubescens ) , íris (Iris germanica) , musgo
(Selaginella sp), cavalinha (Equisetum arvense), selaginela (selaginalla umbrosa), glicínia (Wisteria sp), buxinho (Buxus sempervierens), (Juniperus sp) e bambusa (bambuza gracilis).
  A formação das áreas verdes ainda conta com a presença da água, que significa vida, onde estão acolhidas carpas (koy), que, além de serem responsáveis pelo colorido e movimento, fazem referencias à longevidade e harmonia. ''Quando não há água, ela é simbolizada por lagos secos desenhados com pedriscos ''.
As pedras são fundamentais e um marco. Elas compõem a borda do lago, são dispostas simetricamente pelo ambiente e têm definição conforme o posicionamento, podendo remeter à família, ao sistema solar, aos deuses, entre outros. Um detalhe interessante é que sempre são empregados em números ímpares, uma vez que a cultura oriental os pares são fáceis de dividir e o objetivo do jardim é o contrário, unir.
Os caminhos do jardim japonês nunca são retilíneos. As curvas sinuosas expressam o trajeto do homem durante a vida, sempre vencendo obstáculos para seguir em frente. ''Geralmente, são formados por pedras entremeados de pedriscos. Também é possível dispor bancos ao longo do percurso, desde que sejam confeccionados de materiais rústicos, como madeira e pedra '‘.
Quando o espaço permite, o lago com cascata é bem-vindo. Porém, a água deve ter movimento natural e ser cristalina, pois o objetivo é enxergar os peixes. ''Na entrada da área verde, é comum ter uma cuba (tsukubai) para lavar as mãos, significando a ' limpeza da alma ' para refletir e meditar, e um pergolado ou portal, sinônimos de boas-vindas ''.
Não é necessário conter todos os elementos representativos no ambiente, mas, com habilidades, é importante escolher aqueles que são viáveis e sejam significativos para quem desfruta do lugar.
Qualquer pessoa pode possuir um refúgio oriental, mesmo em pequenos espaços '.
(Há mais de 30 anos atuando no mercado, Ivani Kubo vem se destacando como uma das profissionais mais respeitadas na área de paisagismo.
  Ivani Kubo vem associando a técnica e estética de composição paisagística às tendências atuais do paisagismo. Nesse trabalho, a criatividade e conhecimento são fundamentais, onde a preocupação maior é a realização de jardins de extrema beleza e harmonia com a estrutura arquitetônica existente.
Preocupada com a questão ambiental, procura aliar recursos sustentáveis aos seus projetos, porém de forma racional, pois considera que o projeto uma vez implantado só precisa ser conservado e não mais refeito.
Neta de avós vindos do Japão, a paisagista se especializou em jardins japoneses, lagos, cascatas, etc, tendo predileção pelas pedras ornamentais, que, segundo ela, ‘falam’ com quem as observa.)









domingo, 11 de janeiro de 2015